10 FEV 2006  
O sonho de hoje ainda está resquícios dentro de mim, era algo sobre um jogo, uma espécie de gincana, lembro-me que todas as pessoas mais próximas estavam comigo nessa, todas tentavam fazer parte da minha estratégia, mas eu me tornava arisco com a aproximação alheia, aos poucos minhas idéias originais expulsavam os demais, e todos foram para o vizinho ficar se divertindo vendo televisão, senti-me desgotoso com aquele abandono, perguntei o porquê, e me disseram com os olhos que tem certas coisas que eu não podia ter, uma delas é a companhia das pessoas, senti um prazer em ter pelo sonho esta resposta, mas não sei se vou conseguir levar isso à frente com o mesmo tom de felicidade.

Sinto-me condenado a ser solitário, e desistir de escolher caminhos.

15:52

1 Comments:

Anonymous Soraya said...

A tristeza moderada cobre de dignidade o vitimismo, o educado gesto de repúdio ao sonho. A solidão declarada reflete o balanço da perda ou da perdição? Não sei. O desgosto experimentado talvez exiba a graça de alguém fatigado, o apelo surdo da vontade esquiva, reticente e secretamente magoada. É como se habitasse no eu um descompasso: um coração que arde pelas respostas e encontros, mas que na iminência do enlace ofertado o rejeita silenciosamente no mergulho sensível da realidade imediata avessa e transversa ao Sonho. A liberdade humana pode ser tão enigmática quanto à liberdade sobrenatural das nossas procuras que nos impulsionam na roda incerta dos nossos tantos desejos. Beijos mais meu amor solidário na procura!!!!

8:09 PM, fevereiro 11, 2006  

Postar um comentário

<< Home